Visite nosso site
CARREGANDO...
Ensino

Aprenda a fazer um controle financeiro para entrar na faculdade em 6 passos

No items found.
Ensino

Aprenda a fazer um controle financeiro para entrar na faculdade em 6 passos

Existem certos períodos da vida que é preciso refletir sobre o que realmente queremos na área pessoal e profissional, não é verdade? Todavia, muitos desses objetivos requerem um bom controle financeiro diário.

Ingressar em uma faculdade para fazer a graduação da sua escolha é um dos grandes objetivos na vida de muita gente, pois traz a chance de escolher uma profissão, ter maior empregabilidade, conquistar o reconhecimento das pessoas etc.

Para que tenha condições de fazer um curso superior e não passe por apertos, trouxemos 6 dicas fundamentais sobre controle financeiro. Continue a leitura e aproveite o conteúdo!

1. Registre tudo o que fizer

Assim como é importante dedicar um tempo para organizar suas tarefas e fazer um plano de estudos qualificado — visando conquistar uma vaga na universidade, vale ressaltar que o registro das atividades financeiras também deve seguir esse padrão. Independentemente se você utilizou dinheiro vivo, cartão de débito ou cartão de crédito, lembre-se de registrar todas as movimentações monetárias.

Isso serve para identificar quais são os pontos mais críticos na sua vida financeira, ou seja, em quais momentos tem gastado mais, por quais motivos e a frequência desses valores. Basicamente, você fará uma espécie de balanço patrimonial do que recebe e de como é empregado cada valor, a fim de remanejar as contas e poupar com inteligência.

Você pode colocar as informações em uma planilha de Excel, aplicativos, bloco de notas ou qualquer outro meio em que possa conferir os dados, pois será o seu direcionamento para o controle financeiro. Dependendo do volume de informações, é possível especificar por categorias e fazer filtros que ajudem a compreender como utilizar melhor o seu dinheiro.

2. Estabeleça suas prioridades

Por mais que seja tentador gastar dinheiro no shopping, comer em um restaurante caro com os amigos, fazer viagens para destinos dignos de ótimas fotos nas redes sociais e demais situações, saiba que é preciso fazer algumas escolhas para focar na faculdade. Seria fantástico se a vida dos universitários fosse como um filme de Hollywood, porém, não é bem assim que funciona na prática.

Para ingressar em uma graduação e concluir o curso sem passar por perrengues financeiros, é primordial que você saiba definir as suas prioridades e entenda que, em muitos momentos, a faculdade virá em primeiro lugar. A disciplina é um ponto-chave nesse momento, pois permite que você direcione seu orçamento para aquilo que realmente importa e, naturalmente, contribua para o pagamento das parcelas do curso.

Faça um remanejamento dos seus gastos diários para identificar possíveis hábitos sabotadores que não deixam você economizar de fato. Antes de efetuar qualquer compra, por exemplo, faça uma autoanálise e perceba se realmente você quer aquilo, se merece gastar dinheiro com o produto ou serviço escolhido, se precisa disso em sua vida, se pode desembolsar esse dinheiro e se deve, ou não, comprar.

3. Defina possíveis metas

Muito mais do que a sabedoria de que é preciso ter um controle financeiro e fechar o bolso para coisas supérfluas, você deve definir seus objetivos e metas a curto, médio e longo prazo. À medida que é feito esse planejamento, a tendência é tornar o sonho de ingressar em uma faculdade muito mais real, sendo que você terá a noção do caminho a ser percorrido para alcançar tal feito.

Sabendo do seu histórico de despesas, você já pode determinar as variáveis necessárias para se desafiar e buscar objetivos que possam facilitar o seu percurso para pagar a graduação. No entanto, perceba que as metas precisam seguir a metodologia norte-americana SMART, ou seja, devem ser específicas, mensuráveis, atingíveis, relevante e terem um tempo determinado.

Você pode, por exemplo, guardar o valor de R$ 200 por mês pelos próximos dois anos para ter fundos suficientes para bancar os primeiros meses de curso e, ao decorrer da jornada, buscar oportunidades de estágio profissional para aumentar sua renda. A fim de deixar mais atrativo o negócio, estipule recompensas a cada meta financeira batida, pois assim você criará um gatilho mental que te motivará a economizar mais.

4. Busque métodos de financiamento estudantil

Caso a sua situação ainda esteja complicada para desembolsar a quantia das mensalidades do curso escolhido, não precisa entrar em desespero e achar que seu sonho está muito longe, pois o financiamento estudantil pode resolver isso. De maneira geral, programas governamentais como o ProUni e o FIES são ótimos para quem deseja fazer uma graduação e não dispõem de recursos no momento.

A possibilidade de cadastro nesses programas está atrelada à pontuação recebida na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) do ano anterior, sendo que, quanto maior a nota, mais chances de conseguir boas condições de financiamento. No caso do ProUni, é possível alcançar bolsas parciais (50%) ou integrais (100%), mas é preciso ficar de olho nas documentações exigidas para garantir esse direito.

Se preferir o FIES, você receberá uma ajuda financeira do governo para que tenha totais condições de completar a sua graduação, mas tendo a consciência que esse valor deve ser retornado ao final do curso para o Ministério da Educação. Além dessas opções, muitas faculdades contam com seus próprios métodos de financiar as mensalidades, algo que deve ser pesquisado antes de efetuar a matrícula.

5. Mantenha o hábito de economizar

A partir do momento que você colocar na mente a importância de poupar dinheiro para chegar aos seus objetivos, será mais fácil equilibrar as receitas e despesas e construir um controle financeiro eficaz. Todavia, você precisa compreender que isso deve ser um hábito no seu dia a dia até depois de entrar na faculdade, pois as oportunidades de gastar dinheiro à toa aparecem com mais frequência.

Durante o período universitário, evite ao máximo comprar lanches dentro da faculdade, pois os preços costumam ser bem maiores do que o habitual e, por mais que pareça algo irrelevante no início, fará diferença ao decorrer do curso. Para ajudar na sua economia, faça uma carteirinha de estudante, pois assim terá a oportunidade de pagar meia em teatros, cinemas, shows e demais eventos culturais.

6. Utilize ferramentas e aplicativos

As novas tecnologias auxiliam muito a vida dos estudantes, principalmente no que diz respeito aos aplicativos e ferramentas de produtividade. Para ter um controle financeiro de fato, sempre que possível use apps que permitam identificar os seus maiores gastos, saber quais custos impactam no seu orçamento, analisar a evolução mês a mês, entre outros recursos.

O app Minhas Finanças, por exemplo, possibilita que o usuário confira gráficos da evolução patrimonial, informe-se sobre indicadores financeiros e identifique o percentual de economia no mês. Já o app Mobills permite definir metas e objetivos, estipular prazos, gerenciar várias categorias, entre outras funções. Outras ferramentas de gestão muito utilizadas são:

  • Wisecash;
  • CoinKeeper;
  • Orçamento fácil;
  • Finance;
  • Guia Bolso;
  • Toshl Finanças.

Por fim, você pode ainda realizar algumas tarefas para aqueles que não tem tempo, a fim de conseguir meios de angariar uma renda extra. No mais, lembre-se de que qualquer sonho pode virar realidade com uma boa pitada de planejamento e dedicação.

Se você gostou deste post e acredita que o conteúdo serviria para os seus amigos também, então compartilhe em suas redes sociais para que eles fiquem por dentro do assunto!

Deixe seu e-mail e receba gratuitamente nossos conteúdos sobre ensino superior, carreira e muito mais.

Obrigado! Cadastro realizado!
Algum erro aconteceu. Tente de novo!
INSCREVA-SE PARA RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS

Receba as novidades em seu e-mail

Fique por dentro dos  eventos, notícias e conteúdos da Faculdade Arnaldo.

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.